Brazil O Filme

Like
Like Love Haha Wow Sad Angry

A burocracia nunca foi tão surreal em Brazil

Atenção, esta crítica possui spoilers.

Nota do Universocult: 7.5/10

Brazil, uma história que abrange vários temas dentro de um roteiro denso e que ainda envolve surrealismo como pano de fundo. O título pode fazer referência ao nosso país mas a úncia coisa de fato que pode faz alusão direta é a trilha sonora de Aquarela. Ironicamente pode se dizer que nosso país é um país extremamente burocrático e possui muitas deficiências práticas. E é nessa perspectiva que Gilliam vai trabalhar (Qualquer semelhança é uma mera coincidência?) A trama do longa  basicamente gira em torno de um erro de departamento de segurança que acusa um sapateiro de ser terrorista e o executa (Por causa de um inseto que o atrapalhou ao digitar o nome do acusado e trocou uma letra, acredite!), a partir daí começa uma caça às bruxas aos culpados.

A burocracia nunca foi tão surreal em Brazil

Filme retrata naquela época sua visão de uma burocracia imersa em tecnologia.

O protagonista, Sam Lowry (Jonathan Pryce), um funcionário público do governo, é apresentado comicamente em cenas iniciais. Sua vida é rodeada de uma tecnologia futurista excessiva e que não funciona a maioria das vezes. Ele se vê sufocado por uma vida rodeada de superficialidades e um sistema contraditório. Sua única válvula de escape são seus sonhos, onde ele se vê como um herói alado em busca de sua musa Jill (Kim Greist). Ironicamente Jill é filha do sapateiro falsamente acusado de terrorismo, e ainda  faz parte de um grupo de resistência.

A burocracia nunca foi tão surreal em Brazil

Sonho onírico do protagonista nos revela seus reais desejos de liberdade.

Os idosos do filme tem um papel emblemático, curiosamente são os que mais perpetuam a alta sociedade e estão em um consumo desenfreado. A mãe de Sam, Ida Lowry (Katherine Helmond, irreconhecível) e suas amigas buscam rejuvenescer a qualquer custo, mesmo que sua saúde seja comprometida. Cenas cômicas são usadas como recurso para exemplificar isso. Já naquela época haviam preocupações ligadas aos riscos da cirurgia plástica. O filme então passa a querer questionar uma sociedade com medo de envelhecer e que não reflete seu papel na sociedade e que apenas consome.

A burocracia nunca foi tão surreal em Brazil

Cenas cômicas denunciam preocupação com cirurgias plásticas como meta.

Sam e Jill acabam entrando em uma grande aventura e acabam se apaixonando. Ambos vêem um no outro uma oportunidade de se unirem e escapar do sistema opressor. Os sonhos surreais de Sam traduzem suas sensações e percepções de sua realidade caótica.

No fim, o filme nos entrega um desfecho dramático. A captura de Sam pelo sistema e o assassinato de Jill nos prepara para as cenas finais que justamente se passa na mente de Sam. A última sequência surreal nos revela uma fuga do casal Jill e Sam, e na mesma medida voltamos a realidade com um Sam catatônico e semi morto, preso na cadeira de tortura. Um final torpe e que simboliza a impotência de Sam diante do sistema.

Opinião

A maioria das cenas possui ótimas situações cômicas, podemos tirar risos mesmo em situações desagradáveis e reflexivas e isso faz com o que o filme tenha o seu charme. Outro ponto marcante é a trilha sonora, a música de Aquarela permeia todo o filme mas que muda de arranjo a medida que as situações vão mudando e são várias! Já os cenários passou um tratamento um pouco excessivo,  canos imensos (espécie  de “fios” de energia ultra modernos) atravessam quase todos os cenários. Objetos espalhados no cenário exaustivamente, aliada a pouca iluminação parece dar uma ideia claustrofóbica aos lugares mais fechados(Parece aquelas casas bagunçadas de documentários americanos de pessoas que nunca arrumam o quarto, entulho). As atuações estiveram em seus lugares, Robert de Niro se destacou como o fora da lei “quebra galho” Harry Tuttle e os outros personagens estiveram cômicos na medida certa.

A burocracia nunca foi tão surreal em Brazil

Cenários e cenas narram um universo próprio de The Brazil.

Brazil é um filme de ficção científica que deu seu olhar sobre o assunto com muita animação e um turbilhão de símbolos, que às vezes podem assustar e causar confusão, principalmente no design dos cenários caóticos e com pouca iluminação(Pode ter sido propositalmente, porém não parece ter funcionado muito bem). Mas no final ele veio para falar do ser humano inserido em um mundo onde a burocracia e tecnologia parece ter sido colocada para complicar as situações mais simples do cotidiano humano. 

      Ficha Técnica:

Título Original: Brazil

Origem: Inglaterra

Ano de Lançamento: 22 de Fevereiro de 1985

Gênero: Ficção Científica, Comédia, Drama, Fantasia

Duração: 132 Minutos

Direção: Terry Gilliam

Autor

Tulio Cross
Tulio Cross

Formando em Museologia na UFMG. Se interessa pelas relações dos museus e cineclubes como espaços emblemáticos e patrimoniais. Ama filmes clássicos, jogos e música. Atualmente flerta com a Filosofia.


Like
Like Love Haha Wow Sad Angry